terça-feira, 15 de novembro de 2016

SABE O QUÊ ACONTECE... ? ( QUEBRANDO TABUS, PAPO RETO SEMPRE )

     Pais e filhos.

     Antes de ser pai, sou homem, já fui namorado, já tive o meu relacionamento estável, certo, até aí com 46 anos nada de novo.

    O que eu não tenho é o direito de errar ( mais ), pois a minha vida não é única, outras estão atreladas à minha.

    Uma pessoa me perguntou, como é namorar, sair, ter alguém sendo pai de três filhos.

    Parei, pensei, respirei e achei melhor dar já a resposta completa, papo reto como sempre fiz, pois nada melhor do que isso, as pessoas perto me olharam, acho que esperavam algo politicamente correto, e eu nunca fui politicamente correto, mas sempre socialmente sincero.

    Bem... ( comecei ), melhor sentar porque a resposta não é simples.

    Já me envolvi com pessoas mais novas, da minha idade, que tinham filhos ou não, que já haviam passado por um relacionamento longo, outras não, enfim, nada de novo.
    Mas sempre deixei bem claro que meus filhos vinham em primeiro lugar, afinal são uma parte de mim.
    Já estive com pessoas interessantíssimas, realmente encantadoras, que até me deixaram com aquele "?" na cabeça.
    Mas abriram a boca e deixaram escapar uma certa decepção ao descobrirem que eu sou pai, isso porque nunca escondo de ninguém, quem me conhece sabe, e sempre coloco na conversa esse assunto.
    Pois bem, neste caso a pessoa interessantíssima achava que era tão... "atraente" em todos os sentidos, que postou-se na balança.
    Deixei claro na hora... quer sair comigo, divertir-se, quer o quê ? Uma noitada ? Perfeito... mas não vai passar disso.
    Papo reto.

    Sou homem, tenho minhas necessidades como qualquer um, aliás homens e mulheres tem sim suas necessidades, mas daí a ser galinha (tanto o homem quanto a mulher ) é um passo bem grande.
    Eu me preservo, porque não sou sou eu, tenho meus filhos, e preciso mostrar para eles que relacionamentos não são brincadeira, que não se deve brincar com os sentimntos de outra pessoa, ou colocar a familia na balança por ninguém, isso é coisa de novela, de filme, na vida real é bem diferente.

    Pais e mães separados, viúvos, ou de produção independente, não tem o direito de arriscar este tipo de exemplo, não importa se os filhos tem 2 ou 20 anos, de todos os erros e defeitos que a pessoa possa vir a ter, aproximar alguém dos filhos é uma responsabilidade muito grande,e é o erro inaceitável, seguido de perto apenas pelo abandono emocional e intelectual. ( E se pensarmos bem, ficar mostrando relacionamentos equivocados, é a soma dos três erros citados acima )

    As pessoas que tem maturidade sabem, que pessoas com filhos não estão necessariamente procurando madrastas ou padrastos para seus filhos.

   Meus filhos já tem mãe, e meus filhos já tem pai, cada qual oferecendo sempre amor e carinho para as crianças como deve ser.

   Já ouvi em uma roda de bate papo, a seguinte frase ( felizmente para a pessoa não direcionada para mim):

  -" Se o cara tem filhos nem chego perto... ele deve estar é querendo uma mãe para as crianças e eu não vou criar filhos dos outros ".

    Digo que... certamente existem pessoas que pensam assim, em "tapar" este buraco familiar desta maneira, mas isso fica claro logo no início, mas quem não vai além da superfície jamais vai notar isso. Típica falta de maturidade.

     É uma opção não envolver-se com quem tem filhos ? Claro, mas que seja pelos motivos certos, por razões menos... mesquinhas ou infantis, ou melhor, que não seja por uma questão de seguir a boiada.

     Eu tenho nos meus filhos meu melhor e maior filtro... pois se a pessoa torcer o nariz de cara, está sujeita apenas à duas situações, servirá para uma noitada, ou ficará apenas na amizade se isso for possível, mas quem me conhece sabe, vai ouvir da minha boca em alto e bom som quais as opções,e o porquê.
     
     Eu já passei longe da fase adolescente de quantidade e não qualidade.

     Eu sempre digo que hoje eu já sei namorar, sei dar valor ao tempo, aos momentos, à não perder tempo com aquelas coisas pequenas que no fundo só ocupam espaço na relação, que envenenam a cabeça.
     Todos tem história, tem um pacote emocional e em alguns casos, filhos... e qual o problema ?

     Para pais e mães, sejamos francos, não temos o direito de errar, de aproximar pessoas inconsequentes ou agir como adolescentes após a maternidade/paternidade.
     Você pode ter todos os defeitos do mundo, enfrentar qualquer dificuldade... mas não pode brincar com a responsabilidade de dar amor, carinho e proteção ao seu filho.

      Defeitos ? Tenho muitos, vários, pecados então... melhor nem mencionar, mas carinho, amor e pular na frente da bala pelos meus filhos, isso eu faço sem pensar.

      Quando ouço pessoas discriminando pais e mães, quando sei que estes país e mães são realmente dignos do presente que é um filho, já identifico quem tem maturidade e quer um relacionamento na acepção mais completa da palavra,e separo de quem quer apenas uma... "relação". 
      Lembrando que... relação fica apenas no conceito mais simples da palavra. 

      Como eu disse antes... escolhas, só isso, cada um faz as suas, democrático, direto e limpo.

           Pais e mães abertos para um relacionamento, podem ser filtrados pelos filhos mas devem filtrar por eles.

       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário faz parte da evolução de todos nós, critique, brigue comigo, concorde, discorde, estou aqui para aprender...