sábado, 30 de abril de 2011

AMORES VEM E VÃO... AMIGOS NÃO.

  Essa pega na veia, complicado falar sobre isso mas aos poucos percebo que, pessoas imaturas trocam amizades por amores de maneira tão radical que só lhes resta a depressão quando o "amor" se vai (ninguém começa uma relação imaginando que possa acabar, mas é uma possibilidade real no mundo real e não utópico dos apaixonados).

 Tenho amigos que sabem distinguir isso e equilibrar as coisas, em compensação conheço pessoas que ao entrar em um relacionamento, afastam-se de amigos e até mesmo de familiares, mudam completamente seus hábitos e seu jeito de ser, ficam dominados e ao invés de "somar" acabam subtraindo de suas vidas muitas coisas boas.

  Eu mesmo já cometi este erro, mas aprendi, acabei lidando com isso da melhor maneira possível, afinal quando o amor se vai... ficam os amigos, por isso não subtraia, some, porque não unir duas coisas que podem ser tão boas? Amigos e amores podem conviver em harmonia, até porque em uma relação saudável é necessário que haja espaço para ambos.





  Todo mundo conhece alguém que já sofreu por amor, aquele amigo ou amiga que de repente te procura porque fez o "acordo" pós relacionamento, entrou com os gluteos e o outro com o pé (nem precisa traduzir não é?), ou até porque entrou mais alguém na história. Quando isso acontece, só os amigos verdadeiros estarão lá para oferecer aquele ombro amigo, para dar aquele tapinha nas costas e tentar te animar. (pode ser um bom filtro de amizades, meio sofrível mas é)
  Na verdade traições, brigas, falta de diálogo, "excesso de convivência" ( por isso espaço é fundamental), seja lá qual for o caso...  se chegou ao limite, já era.

  Conheço pessoas que se fecham dentro da relação e depois quando acontece algo, ficam perdidas, sem noção de como reagir ou sobreviver num mundo que elas conhecem, mas fizeram questão de esquecer.




       " xiii... esqueci dos amigos lá atrás...".


  Uma pessoa com quem me relacionei durante um bom tempo, com problemas em outra relação me procurou para desabafar, porque sempre se fechava dentro do relacionamento e o único "amigo" que conhecia era aquele com quem conviveu mais, claro sempre fica a amizade, pelo menos eu sempre espero isso, mas é aí que se percebe o quão fechado foi o mundo desta pessoa. É a velha história de mudar, de ser outra pessoa dentro da relação, de viver em função de alguém, além de errado é imaturo demais agir assim, pois no final quem sofre é a pessoa que se fechou no casulo, que ficou em seu estado de animação suspensa, reencontrar um mundo que já conhecia mas que ficou novo de novo demanda muito tempo para a readaptação, perde-se o "timing" de tudo.

   Tenho amigos que equilibram tudo, mas que sabem que é este equilibro que faz a diferença, não porque esteja dentro de uma relação pensando já no final da mesma, mas sim porque estes tem maturidade e sabem separar estes paralelos da vida cotidiana, que podem se cruzar ou caminhar lado a lado, dependendo só da maturidade mesmo. Quando você tem segurança e passa segurança para outra pessoa, não precisa se fechar no casulo da relação, só que se a outra metade do casulo não entender isso, acaba sufocando e aí... (vide o texto do ciume) o acordo pós relação fica praticamente pronto, só ali na gaveta de cima esperando mais um "tropeço".

  O grande problema de viver fechado(a) numa relação, não é apenas distanciar-se de outras pessoas, mas sim, inverter totalmente os valores, cominar um peso muito maior a pessoa que está com você,e deixar as amizades e seus contatos totalmente sem peso na balança... pois na volta ( em uma possível volta), talvez seus amigos, mesmo que mantenham o carinho e o respeito por você, possam estar vivendo uma realidade muito diferente da que ficou lá atrás, "congelada" quando foi interessante, e aí, deve-se compreender que não foi um abandono, uma mudança, mas sim uma evolução. Quem parou no tempo no caso das amizades... foi quem viveu para o amor e deixou os amigos em último plano.





                                           "VÃO-SE OS ANÉIS... FICAM OS DEDOS"

E SE ACABOU... TENHA EM MENTE QUE:

  Nenhum pedaço seu foi arrancado... foi aquele "trauma" que com um pouco de "fisioterapia de amigos" fica resolvido, nesta vida todos são um fenômeno, todos conseguem voltar, viver é uma questão de treino.


  Não recrimino ninguém, mas deixo aqui uma dica... sair e querer recuperar o tempo perdido, fazer valer a infeliz ideia de que... "a fila anda" é pior, pois no final da noite ou no dia seguinte, a sensação não é a de quem "usou" alguém ( o que é errado em todos os sentidos ), mas sim de que foi usado(a). Respeite-se, dê um tempo a si mesmo... um tempo só seu, para você, para suas coisas, para os amigos e família. Pessoas interessadas aparecerão aos montes, afinal nos dias de hoje, quem ficou "só" de repente... está mais vulnerável, é... fácil, carente. E com certeza você não precisa disso neste momento. Respeite-se, caso contrário será considerado(a) tão banal quanto suas relações para recuperar o tempo perdido.

    E tempo perdido não existe...                 você verá.

9 comentários:

  1. Assino embaixo, aliás, difícil o pessoal aprender isso viu, o equilíbrio...

    ResponderExcluir
  2. ...nem me fale, pior que quando aprende geralmente já é muito tarde.

    ResponderExcluir
  3. Eu tb assino abaixo, apesar desse não ser o meu problema!!! rs

    ResponderExcluir
  4. falou bonito viu !!!

    ResponderExcluir
  5. ...difícil é aprender...rs

    ResponderExcluir

Seu comentário faz parte da evolução de todos nós, critique, brigue comigo, concorde, discorde, estou aqui para aprender...