sábado, 22 de agosto de 2015

A SITUAÇÃO "CÔMODA"... MAS PARA QUEM ?

         Quando um homem casado está na cômoda situação de ter uma amante (sim cômoda), e consegue manter certo controle sobre a situação, é preciso que a mulher que se colocou nesta situação de ser... a outra, compreenda que isso não vai mudar, ou que as chances de que isso aconteça, são remotas, verdadeiramente remotas.


         Quem se põe nesta posição de "controle", seja homem ou mulher, fica confortável, claro... imagine, esta pessoa controlando as vidas de duas pessoas, jogando com elas, realmente brincando com os sentimentos de alguém.



        Quando uma mulher se coloca nesta situação, ela não pode esperar nada além de alguns minutos de romance, nada além de alguma atenção quando o "homem" que a procura, precisa de sexo, ou quer apenas "variar", quer sair da rotina, e claro... quer fazer isso sem esforço.



       Falando pelo lado masculino da situação, eu posso dizer que é realmente cômoda a situação, pensando pelo lado do "homem" que age assim ( sim digo homem entre aspas por não considerá-lo assim mas sim um... "moleque"), e mesmo uma mulher se parar para imaginar, vai ver que situação cômoda, ao menos para este lado.

      Cansou da rotina ? Tem aquela pessoa sexualmente confiável, que vai tentar agradar, e que vai servir para... descarregar as tensões, ou realizar as fantasias que a (o) titular não realiza.


      Frio e insensível dizer isso ? Mas é cômodo para esta pessoas que usa alguém assim ou não ?



      Ledo engano de quem acha que fogo, paixão, submissão, fetiches, carinho, palavras doces no ouvido, juras e promessas vão mudar quem age assim. Não é mais uma conquista, é só a manutenção de uma situação parasitária.



     Já vi mulheres que acreditavam ser possível com estes... "quesitos" acima, cobrar um posicionamento, partir para o clássico... "agora você precisa escolher com quem vai ficar".



     Ele... vai escolher a titular, claro... ele vai pensar;



    " Não vou me arriscar com uma pessoa que aceitava este tipo de situação, quem aceita isso não é confiável, quem garante que não vai ter outra pessoa, afinal achava isso normal "



    " Decidir isso ? Assim ? Não estou louco... além disso dividir, ou abrir mão de família, e bens, ou ser visto como alguém capaz disso ? Nem pensar... não vale à pena ".



    Parece algo frio ? Calculista ? Parece que estou exagerando ?



    Pense nisso, pense bem, quantas vezes ou quantos casos assim você já viu, ou quantas vezes ouviu falar nisso ?



    É preciso entender que isso não é amor... nunca foi, nunca será, é apenas uma relação de troca de favores, ninguém vai mudar por ninguém e quem geralmente está no comando desta situação, sempre vai acreditar que quem aceita isso, aceita qualquer coisa, ou seja, aceita...  restos, migalhas.



    O amor não resiste e não vive de migalhas.



    Quantas pessoas realmente sérias, boas, certas, ou que poderiam valorizar este amor, podem ter sido dispensadas nesta ilusão ?



    E fica uma pergunta no ar...



    "Será que vale à pena ? "



    Cuide-se, ou deixe que alguém que está no caminho, que está só para você, com você, seja o que você precisa, por inteiro.



     Afinal...   você merece o quê ?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário faz parte da evolução de todos nós, critique, brigue comigo, concorde, discorde, estou aqui para aprender...